Crônicas da Bariceia 3 anos atrás

Crônica da Bariceia (25)

Resumo dos acontecimentos da semana, na Bariceia.

compartilhar

Onde deseja compartilhar?

0 visitas.

Por: jornalista Josué Santos Barbosa

 

Um dia após o governador José Melo confirmar que manterá a suspensão dos subsídios para empresas de transporte coletivo, o prefeito Artur Virgílio anunciou o aumento do valor da passagem de ônibus para R$ 3,80. Entretanto, assegurou que conservará o valor da tarifa estudantil em R$ 1,50.

Melo condicionou a volta da isenção de subsídios sobre o ICMS do combustível e IPVA dos transportes coletivos somente se a prefeitura retirasse o aumento concedido no dia 26 de janeiro, quando o valor da passagem de ônibus passou de R$ 3,00 para R3,30.

“Caso o aumento da tarifa para R$ 3,80 não fosse feito, a Prefeitura de Manaus teria que arcar com o valor de R$ 100 milhões para o transporte público. É inviável”, assim Artur justificou o aumento. Ele anunciou que haverá intranet nos ônibus, wi-fi nos terminais e a aquisição de  200 novos ônibus, em 2017, com a chegada dos primeiros veículos programada para março. Declarou ainda, que um novo sistema para o transporte público deverá ser implantado na cidade, incluindo o Bus Rapid Transit (BRT) e o aeromóvel, só não disse quando. A nova tarifa passará a valer a partir de sábado (25), isso se a ação do Ministério Público não tiver acolhimento.

Quando chefes de Executivo descartam o dialogo, é porque perderam a sensibilidade. Aí  farão  de suas prerrogativas armas para atingir seus adversários, desprezarão as  consequências que advirão para a coletividade e  cavarão suas covas com as próprias mãos.

A Secretaria de Segurança Pública (SSP) anunciou o lançamento do projeto “Rota Segura” nos ônibus do Polo Industrial de Manaus. O projeto adota estratégias para coibir assaltos a ônibus . A SSP usará tecnologias de câmeras instaladas nos ônibus e nos pontos de espera dos funcionários, as quais serão monitoradas pelo Centro Integrado de Comando e Controle (CICC), o que permitirá uma pronta resposta das polícias Civil e Militar, nos casos de ocorrências. O projeto terá início no PIM e posteriormente abrangerá todo o transporte público coletivo.

O ano de 2016 registrou 2.767 ocorrências, ou 228 por mês, um número assustador. Essa espantosa e pavorosa estatística tem como causa principal o absoluto descaso que o governo dedicou à segurança pública. Desrespeito lastimável e inconcebível.

O assunto ônibus continuou a ser notícia na manhã de terça-feira, quando aproximadamente 120 linhas, durante seis horas, foram paralisadas no Terminal de Integração 1, na Avenida Constantino Nery , afetando aproximadamente 300 mil pessoas. As dez empresas que atuam na cidade, sem exceção, aderiram ao movimento. A paralisação ocorreu quase um mês após o aumento da tarifa (de R$ 3 para R$ 3,30) ocorrido, como dito anteriormente, no dia 26 de janeiro. Os trabalhadores do sistema de transporte cobravam o pagamento do dissídio, além da quinzena, que deveria ter sido quitada na segunda-feira (20).

Dias antes, descumprindo decisão da Justiça do Trabalho, rodoviários de diversas empresas promoveram a greve que paralisou 100% da frota de 1,4 mil ônibus da capital, prejudicando 400 mil usuários. Naquele evento os rodoviários exigiam o pagamento dos valores atrasados correspondentes ao dissídio coletivo de 2016 e adicional de insalubridade.

Até quando essa relação de promiscuidade trabalhista apenará os inocentes usuários? Não sei.

Um homem não identificado pôs  fogo em um ônibus da linha 535, o incêndio foi combatido pelo Corpo de Bombeiros, mas o coletivo teve perda total, felizmente ninguém ficou ferido. Dois coletivos foram incendiados no conjunto Galileia, próximo ao igarapé do Passarinho, bairro Monte das Oliveiras, também sem feridos. No bairro Redenção, um homem foi detido ao tentar atear fogo em outro ônibus e uma dupla armada ateou fogo em um coletivo articulado na Compensa. Cinco ataques em 24h e apenas um homem suspeito foi preso.

Primeiro Natal, depois Vitória agora Manaus, é o caos.

Através do Decreto Estadual nº 37.646, de 21 de fevereiro de 2017, o governo do estado prestou merecida homenagem ao Jornalista Phelippe Daou. A Ponte Rio Negro agora tem o seu nome.  Dr. Phelippe foi um dos pioneiros na história da comunicação no Brasil e fundador de uma das mais importantes redes de comunicação da região Norte do País.

As mulheres vêm tendo destacado papel nas páginas policiais, dessa vez coube a uma mulher de 36 anos, presa suspeita de espancar a filha de sete anos com um pedaço de madeira, o qual era personalizado com o nome da criança e desenhos de corações. A denúncia do crime partiu do pai da criança. Na delegacia a agressora confessou que espancou a filha por não ter feito a tarefa da escola, pagou fiança e se foi.

A mulher foi autuada pelos crimes de lesão corporal e violência doméstica, configurado em agressões contra mulheres, crianças e adolescentes. A criança está sob a custódia do pai. Outra gravura no pedaço de madeira chamou a atenção: “apanhou porque não gosta de copiar tarefa”.

Antes de ser liberada a agressora bem que poderia receber uma tatuagem, não definitiva, mas com duração de dois ou mais anos, no mesmo local onde ficaram as marcas no corpo da  criança: “Fui presa e autuada por crimes,  porque bati na minha filha que não gosta de copiar tarefa”.

Na madrugada do dia 21, duas mulheres e um homem foram presos pela Delegacia de Repressão e Entorpecentes da Polícia Federal do Amazonas (PF-AM), no Aeroporto Internacional de Manaus. Eles tentavam embarcar com aproximadamente 40 kg de skunk na bagagem, em um voo com destino ao Rio de Janeiro.

No bloco carnavalesco “A bronca é feia é nois na cadeia” tem mais mulheres que homens.

Finalmente as seis das oito pontes de acesso de passageiros e aeronaves para áreas de desembarque e embarque do terminal 2 (fingers) do Aeroporto Internacional de Manaus Eduardo Gomes e que ainda eram originais, serão substituídas. A Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) anunciou que as quase cinquentenárias estruturas utilizadas, serão trocadas ainda este ano por pontes modernas, ao custo de R$ 14 milhões. A Empresa também pretende ampliar os serviços oferecidos aos usuários do aeroporto.

Já não é sem tempo, essas pontes ou fingers estão caindo aos pedaços, um contraste com as benfeitorias que o aeroporto recebeu para a Copa do Mundo 2014.

A Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semmas) informa que, ao longo de 2016, foram identificados 48 focos de ocupações irregulares de terra e que nos primeiros 51 dias do ano, já identificou 14 novas invasões, todos em bairros da Zona Norte e Leste da capital amazonense. Dos 48 focos de invasão em 2015, apenas 27 foram extintos pelos órgãos de fiscalização e controle que compõem o Grupo Integrado de Prevenção às Invasões em Áreas Públicas (Gipiap).

A invasão de terras é uma indústria e o poder público há muito sabe disso. Escamotear a falta de ação enérgica e imediata, com o discurso de que as ações de reintegrações são operações que envolvem dezenas de órgãos e agentes públicos, que são sigilosas e por isso o cronograma de ação não é divulgado, é uma desculpa tão tosca quanto inaceitável.

Finalmente a Cadeia Pública Desembargador Raimundo Vidal Pessoa, que havia sido desativada em outubro de 2016, mas voltou a operar após o massacre de detentos em janeiro deste ano, será desativada. Em reunião no Tribunal de Justiça do Amazonas (TJ-AM) entre membros da Secretaria de Administração Penitenciária (Seap), Ministério Público Estadual (MPE) e outros órgãos do estado, estabeleceu-se que a desativação se dará no dia 15 de maio. A Seap ainda não divulgou o local para onde os presos serão transferidos.

A preocupação não repousa na transferência, nem no local para onde os detentos serão transferidos, mas na empresa que cuidará da gestão prisional. Transferir é preciso, Umanizzare não é preciso.

A Avenida Cosme Ferreira, Coroado, Zona Leste da cidade, registrou novo vazamento em uma adutora no local e, em consequência, lentidão no trânsito. Um desvio foi montado no local, mas houve transtornos na passagem de veículos, com congestionamento de quase 2 km na área da Feira do Coroado. Moradores do bairro foram afetados com a falta de água.

Foi o segundo vazamento em nove dias, no dia 13 de fevereiro a tubulação se rompeu; no dia 15 a Alameda voltou a ser interditada, após a pista de barro ceder por causa da umidade e o peso de carros no horário de pico.

Em fevereiro o bairro foi “coroado” com eventos que bagunçaram a vida de seus moradores.

O Instituto de Pesos e Medidas do Amazonas (Ipem-AM) multou um posto de combustível flutuante por oferecer risco à vida das pessoas e violar os direitos do consumidor. Além da autuação, as duas bombas do posto foram lacradas. A primeira foi lacrada por entregar uma quantidade de combustível menor ao consumidor – a bomba informava um volume e entregava 120 ml a menor. A segunda bomba foi lacrada por apresentar vazamento com risco em potencial de explosão. A multa aplicada pode chegar a R$ 2 milhões,os proprietários têm prazo de 10 dias para apresentar defesa junto ao Ipem-AM.

Este é, literalmente, um caso de ratos d’agua.

Flutuante também é o Ariaú Tower, da empresa River Jungle Ltda , que não resistiu ao peso de trabalhar no vermelho com a baixa procura de turistas a partir de 2005, e sucumbiu. Agora enfrenta 150 ações processuais que tramitam na Justiça do Trabalho. Em 2016 o imóvel foi a leilão pela primeira vez por R$ 26 milhões; depois com lance mínimo de R$ 13 milhões – a metade do valor apresentado na 1ª avaliação do imóvel – e, por último, em três de agosto, com mesmo lance do anterior, mas em nenhum houve lance. Não há agendamento para próximos leilões.

É triste ver o hotel de selva que um dia foi referência mundial, em absoluta decadência. Antes tivesse sido engolido pela anaconda a ver seu fim ser escrito em páginas tão infelizes.

A Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (Aleam) realizou no plenário Ruy Araújo, em sua sede, sessão solene em homenagem aos 50 anos do modelo Zona Franca de Manaus (ZFM) e da Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa). A superintendente da Suframa, Rebecca Garcia, agradeceu a todos os servidores, colaboradores e superintendentes que atuaram na Suframa e encerrou o discurso salientando a capacidade de superação e renovação do modelo Zona Franca de Manaus. “Não é o mais forte que sobrevive, nem o mais inteligente, mas o que melhor se adapta às mudanças”, disse Garcia.

 Eu subscrevo. Se diferente for, sucumbimos.

Até sexta-feira.

Comente

banner

Veja mais

banner
sobre

Lucio
Bezerra

Manauara, criado na José Clemente, Rua integrante do mais famoso quadrilátero do planeta Terra. Torcedor do Fluminense, filho de Luiz e Joanna, canhoto, apreciador de vinho, cantor de banheiro, ex-atleta, ex-cabeludo, arremedo de poeta e escritor, sonhador e eterno aprendiz.

22092visitas.

Últimas Reminiscências