Sô Cutruco 7 meses atrás

O Oráculo do Sô Cutruco

Deste que as mais recentes propagandas do governo Amazonino Mendes começaram a veicular, este Blog recebeu uma enxurrada de e-mails com questionamentos querendo saber o posicionamento do Sô Cutruco a propósito. O Sô Cutruco respondeu algumas delas que, pela abrangência, atende a quase todas as perguntas demandadas.

compartilhar

Onde deseja compartilhar?

0 visitas.

Deste que as mais recentes propagandas do governo Amazonino Mendes começaram a veicular, este Blog  recebeu uma enxurrada de e-mails com questionamentos querendo saber o posicionamento do Sô Cutruco a propósito. O Sô Cutruco respondeu algumas delas que, pela abrangência, atende a quase todas as perguntas demandadas.

Pergunta 1 –  O senhor acredita quo o novo governo do Amazonas realmente cortou gastos? (Maria Clara Pedreiras, moradora do Bairro São José)

Sô Cutruco – Pra começo de conversa, senhora Maria Clara, chamar de “novo” governo do Amazonas o que já conhecemos de outros carnavais é uma graça sem graça. O governo atual repete velhas práticas, conserva velhos atores e a casa permanece desarrumada. É preciso demonstrar em que áreas de atuação houve corte de gastos, apenas propalar é um expediente que não convence nem o mais ingênuo cidadão.

Pergunta 2 – A propaganda do governo do estado diz que renegociou contratos e melhorou a gestão. O que quer dizer com isso? (Bráulio Sarmento da Gama, de Rio Preto da Eva)

Sô Cutruco – Como acreditar em negociação contratual quando o governo do Amazonas renova o contrato da empresa Umanizzare? Sim, aquela empresa que administra sete unidades prisionais do estado, um contrato que custa aos cofres públicos R$ 5 milhões por mês. O Ministério Público de Contas do Amazonas até pediu ao Tribunal de Contas (TCE) a rescisão dos contratos com essa empresa  e com outra que administra os presídios do estado. Inclusive apontou superfaturamento, mau uso do dinheiro público, conflito de interesses empresariais e ineficácia da gestão da empresa. O “novo” governo renovou sem rever o absurdo valor cobrado de R$ 4,7 mil por detento, praticamente o dobro do que um preso custa em média no restante do país. Então, senhor Bráulio, dá pra creditar? “Melhorou a gestão”, portanto, é uma falácia.

Pergunta 3 – A propaganda do governo afirma que […] “reduziu a dívida e garantiu o funcionamento e os serviços. […] Menor custo para o estado e melhores serviços para você. Novo governo do Amazonas, amor à causa pública”.  (Paula Angelina Cordeiro e Silva, residente em Parintins)

Sô Cutruco – Não se iluda com discursos que nada provam senhora Paula. Por que não exclarecer que dívida é essa? Quem são os credores? Em quanto importa essa dívida? O quanto foi reduzida? Como a reduziu? Ora, não houve melhoria de serviço nenhum e a casa permanece desarrumada.

Pergunta 4 – A propaganda do  governo do Amazonas diz que recebeu a segurança em crise e com as contas atrasadas, afirma que começou a arrumar a casa e até já substituiu 269 viaturas. Bem, aqui no bairro onde moro ainda não vi nenhuma dessas novas viaturas anunciadas passarem. Afinal, Sô Cutruco, 269 é conta de mentiroso? (Mário Garcia Santana de Oliveira, bairro (Monte das Oliveiras)

Sô Cutruco – Senhor Mário, quando cá cheguei, os governantes tiravam fotos e exibiam a frota comprada. Desta maneira davam transparência ao que pregavam. Agora propagandeiam a informar um número qualquer, sempre grandioso, e esperam que todos acreditem. Se tão somente  fizermos a prova dos noves das  tais 269 viaturas, o resultado será oito, que é vizinho do sete e sete é conta de mentiroso. Chamemos então de menos verdade.

Pergunta 5 – Boa tarde! Tá saindo na rádio e TV que esse ano Manaus voltará a ter  patrulhamento aéreo, mais segurança nas ruas e controle dos presídios e até retorno do patrulhamento fluvial, só não diz a partir de quando. O senhor crer nisso ou se trata de pré-campanha? (Anderson Villar Cavalcante, morador do bairro de Santo Antônio)

Sô Cutruco – Desde que cheguei neste sítio não recordo de patrulhamento aéreo ostensivo e tampouco de patrulhamento fluvial, senhor Anderson. E mais, historicamente sempre tivemos a segurança pública com viaturas sucateadas, inclusive com cotas de combustíveis controladas. Mesmo durante o Ronda nos Bairros do governo Omar Aziz, muitas vezes se via dezenas de viaturas estacionadas no CSU do Parque Dez. Quanto a segurança nas ruas, por ora é só  promessa, não uma realidade, basta ler, ver e ouvir o que  é noticiado  diariamente nos diversos veículos de comunicação . A propósito da segurança nos presídios, essa  não passa de logro, a realidade local não difere da nacional. Devo concordar com o senhor, a campanha eleitoral já começou.

Pergunta 6 –  Sô Cutruco, quanto de verdade há na propagando do governo que diz começar o ano resolvendo o passado, arrumando o presente e preparando o futuro? (Marlucia Duarte, residente no Bairro da Paz)

Sô Cutruco – E os meses passados, o que neles ou deles foi feito?  É como se o governo estivesse a assumir a gestão do estado somente em 2018. Animar-me-ia enumerar bons resultados senhora Marlucia, mas por ora não há hipótese, pois “Esta tudo como dantes no quartel d’Abrantes”.  

Pergunta 7 – O marqueteiro do novo governo diz que “arrumar a casa é atender a quem mais precisa, é retomar as obras na saúde, é melhorar os serviços no interior, é investir na educação com novos núcleos da UEA, é cuidar da segurança nos municípios, é garantir recursos para produtores rurais, como equipamentos, sementes, alevinos para criação de peixes, é melhorar a estrutura de transporte”. O que o senhor pensa desse discurso, Sô Cutruco? (Gilberto Cabral, morador de Manacapuru)

Sô Cutruco – O marqueteiro disse o que todos nós já estamos carecas de saber, ora, pois! Ademais, o tempo é curto para realizar tantas coisas. No frigir dos ovos, senhor Gilberto, com o tempo que resta do atual governo, pouco ou quase nada estará “arrumado”, com ou sem amor à causa pública.

Comente

sobre

Lucio
Bezerra

Manauara, criado na José Clemente, Rua integrante do mais famoso quadrilátero do planeta Terra. Torcedor do Fluminense, filho de Luiz e Joanna, canhoto, apreciador de vinho, cantor de banheiro, ex-atleta, ex-cabeludo, arremedo de poeta e escritor, sonhador e eterno aprendiz.

14017visitas.